Publicado em 16 de abril de 2013 às 11:44

Aeroporto de Congonhas completa 77 anos de operações

O Aeroporto de São Paulo/Congonhas (SP) completou nesta sexta-feira (12/4) 77 anos de operações. Para celebrar a data, a Infraero preparou atividades comemorativas envolvendo usuários e comunidade aeroportuária.

Para o público, foram exibidos vídeos sobre a história e a importância de Congonhas para São Paulo e o Brasil, exibidos nos video walls, monitores de SIV e totens do aeroporto. Além disso, duas exposições de fotos – uma com fotografias históricas do aeroporto e outra com registros feitos por funcionários da Infraero – foram montadas no corredor de acesso aos balcões de check-in. Quem passou pelo terminal também pode ver a apresentação do quinteto musical de jazz da Base Aérea de São Paulo no saguão central do aeroporto.

As comemorações buscam relembrar a relevância histórica do aeroporto, que é um dos mais importantes da aviação civil brasileira. Atualmente, Congonhas é um dos terminais mais movimentados do País, com 16,7 milhões de passageiros movimentados em 2012. O terminal é administrado pela Infraero desde 1981.

Origem do aeroporto

Congonhas foi inaugurado em 1936, sendo que o nome do aeroporto é uma homenagem ao Visconde de Congonhas do Campo, Lucas Antônio Monteiro de Barros (1823-1851). O visconde foi o primeiro governante da Província de São Paulo após a Independência do Brasil (1822) e o nome “congonhas” vem de um tipo de erva-mate comum na região de Congonhas do Campo (MG), cidade natal de Monteiro de Barros.

As primeiras ações para a construção do aeroporto são de 1935, quando foi realizado estudo técnico para a escolha do sítio do aeroporto que apontou a área marcada pelas suas condições naturais, com alta visibilidade, terreno plano e boa drenagem. Além disso, a área estava praticamente desocupada à época.

Em 1936, o Governo do Estado adquiriu a área para a construção do aeroporto, incorporando, mais tarde, áreas complementares através de desapropriações. Em 1940, foi estabelecido que todas as atividades exercidas no Aeroporto de Congonhas seriam dirigidas por um administrador nomeado pelo Governo do Estado.

O projeto inicial do aeroporto previa a construção de três pistas de pousos e decolagens, sendo que a construção da pista principal foi iniciada no final da década de 40. À época, estudos técnicos constataram que uma pista seria suficiente para atender às especificações aeroportuárias da Civil Aviation Authority (Autoridade de Aviação Civil – CAA), uma das mais modernas para o período. A pista principal foi concluída no final de 1950 – durante as obras, foi iniciada a construção de uma segunda pista, provisória, localizada paralelamente à primeira. Com o passar dos anos, essa pista passou por melhorias e readequações, se tornando eventualmente a pista auxiliar do aeroporto.

Em 1957, Congonhas era um dos aeroportos com maior movimento de carga aérea no mundo. Devido a isso, na época foram realizados estudos para a implantação de um novo aeroporto em São Paulo e alterações no terminal de passageiros do aeroporto paulistano. Desses estudos, se originaram o Aeroporto Internacional de Viracopos/Campinas (SP), a ampliação da ala norte de Congonhas, abrigando as salas de embarque e desembarque internacional e uma reforma para a pista principal.

Na década de 60, Congonhas passou por outras alterações: em 1968, foi criada a Comissão Coordenadora do Projeto Aeroporto Internacional (CCPAI) pelo Ministério da Aeronáutica, que viabilizou mudanças, em especial para a ala internacional do terminal de passageiros. Uma das mais emblemáticas foi a troca de piso em granilite da ala internacional por quadrados em placa de granito preto e mármore branco. O piso, existente até hoje, se incorporou ao prédio de tal forma que passou a fazer parte da identidade visual do aeroporto.

Assessoria de Imprensa – Infraero